Meu bem, “mulherzinha” não existe!

Recebi uma mensagem. Não me entenda mal, recebi uma mensagem de uma pessoa muito querida, muito querida mesmo. Mas…. *você sabe o que vem por aí, não? Sim, vou ser crítica sim! Photo by Ihor Malytskyi on Unsplash Enfim, recebi uma mensagem. Um amigo, e aqui é importante estressar o sexo e o gênero, “O” meu amigo me... Continue Reading →

Setembro amarelo

Há um constante embate aqui dentro de quem lhes escreve. Não que eu seja tímida, não que eu me envergonhe do que faço, ou sinta (mesmo que eu não concorde com tudo que eu faça ou sinta), mas ainda assim parte de mim quer o que é meu guardado. Ali, pra uma conversa de bar,... Continue Reading →

O patriarcado e a biologia

Recebi um texto para ler. Leíamos e comentaríamos no grupo de WhatsApp. O texto era sobre culpa, e já no primeiro parágrafo, algo me chamou a atenção. Sabe quando incomoda? E mais, você mal sabe dizer o porquê? O que acendeu uma luz vermelha pode ser apenas algo irrelevante para você, mas foi a ideia... Continue Reading →

“Eu não ando só”

Carrego em mim a minha casa. Me sinto assim desde criança. E me sinto um pouco mal em dizer isso, porque fico parecendo aquelas branca classe média - que sou - que quer dar um sentido mítico para o seu ser; como se fosse alguém especial, como se fosse predestinada. E se generalizarmos a ideia... Continue Reading →

Procrastinação & culpa

Hoje, bem hoje é dia 1 de Maio e não o dia que estou postando esse texto. Bem, “hoje” é feriado aqui em Viena. Segunda e terça foram dois dias bastante tensos pra mim. Simplesmente porque me toquei que não submeti os artigos científicos que queria ter submetido e que minha ida à Madagascar já... Continue Reading →

As pauzacas

Sento aqui, e assisto à entrevista com o Lula. Ele me lembra de quando a mídia criticava a falta de concordância verbal em sua fala. Eu me lembro da habilidade oratória da Dilma. Daí me pego lembrando do youtube que vi à alguns dias, no O Mundo Segundo Ana Roxo. Elas contam uma história, um... Continue Reading →

You

Já escrevi alguns textos. Péssimos. Confusos. Doloridos. E portanto, bem representativos. Enrolo para começar esse. Poderia escrever para meu blog. Poderia escrever um artigo. Poderia dormir. Mas a verdade é que devo. Talvez seja apenas mais um texto de baixa qualidade, impossível de ser lido. Talvez. Talvez isso seja o necessário para que minha alma... Continue Reading →

Create a website or blog at WordPress.com

Up ↑

Create your website at WordPress.com
Get started